Pare e pense: você tem pessoas ao seu redor, seja na sua vida pessoal ou no ambiente de trabalho, que emanam energia negativa e movimentam o dia a dia de forma pesada, desconfortável e sabotadora? Então provavelmente você convive com uma pessoa considerada tóxica. E o que é realmente um indivíduo que possui essa definição? Como lidar com essas pessoas que sugam nossas energias e criam problemas?

Tóxico: tudo aquilo que te faz mal

Sim, até não muito pouco tempo atrás, não estávamos acostumados a utilizar esse adjetivo para pessoas, apenas para comidas, remédios ou substâncias. Porém, e infelizmente, hoje em dia o termo tóxico pode ser utilizado também para definir os seres humanos. Partindo de uma pesquisa rápida no dicionário, você vai encontrar definições para a palavra – derivada do grego toxicon, que significa veneno de flecha – como característica de material venenoso capaz de causar morte ou debilitação séria; extremamente severo, malicioso ou prejudicial.

De início quero destacar que acredito que as pessoas tem atitudes tóxicas. Suas atitudes é que atingem outros. Mesmo eu tendo colocado o título “pessoas tóxicas”, entendo que as atitudes é que são.

As pessoas com atitudes tóxicas podem estar em qualquer lugar e pertencer a qualquer classe social, raça ou gênero, mas é bem verdade que o ambiente corporativo é um dos locais onde se pode encontrar a maior concentração delas, e isso acontece em diferentes cargos. Quem é considerado tóxico tem como marca registrada uma personalidade muito difícil, o que permite que a pessoa repita dia após dia muitas atitudes ligadas ao caráter que atingem diretamente e negativamente todos os colegas ao redor. Pode parecer clichê dizer isso, mas muito do que somos hoje é resultado do que aprendemos ao longo da vida, com nossas experiências e relacionamentos, e também com o que trocamos com as pessoas e aprendemos com elas, o que ouvimos delas, o que elas fizeram com a gente (tanto ações boas quanto ações ruins).

A toxidade humana permite que o indivíduo coloque em prática sua terrível habilidade de desqualificar cada um de seus companheiros de trabalho, afinal é muito importante para esse tipo de pessoa manter a autoestima dos demais sob controle. E sabe o que isso significa? Pessoas com atitudes tóxicas sonham em ser o centro das atenções, atrair todos os olhares, elogios, confiança porque assim elas conseguem ocupar o lugar de serem dominantes para se empenhar em diminuir e sabotar todas as conquistas de quem atravessar o caminho ou tentar ir contra suas ideias.

Ficar exposto a esse tipo de energia contaminadora vai fazer com que você se sinta exausto física e mentalmente, frustrado, ansioso e deprimido.

A primeira característica comum de atitudes tóxicas é a exaltação do próprio ego, o que significa que a pessoa fica falando o tempo todo de si mesma, de suas habilidades, de seu sucesso, sempre alimentando o seu ego. Nunca se permite olhar para quem está por perto. Em seguida e como parte integrante desse primeiro sinal, o discurso é pautado pelo pessimismo, construído por queixas e reclamações, sem demonstrar esperança pelo que vem pela frente. Podemos incluir, nessa categoria, a falta do sentimento de culpa por nunca pedirem desculpas por seus erros, afinal quem é negativo nunca acredita que está errado, não é suscetível a esse tipo de falha ou constatação; para eles, está fora de cogitação se desculpar por qualquer motivo que seja, e se for preciso criar uma mentira como justificativa para a sua incapacidade de errar, pode ter certeza de que será muito bem elaborada, sem ressentimentos.

Uma pessoa tóxica pode se mostrar muito amorosa em um momento, e no próximo ser distante e abusiva, e essa inconstância psicológica é o que vai confundir você na identificação do comportamento prejudicial e negativo. Essas pessoas baseiam suas vidas na inveja, no ciúmes e no orgulho; são maliciosas e acham que, por se sentirem fracassadas por causa da baixa (ou nenhuma) autoestima, precisam se colocar à frente de qualquer outra pessoa, têm a necessidade de se destacar sob uma ótica nada positiva (para quem está observando), enquanto, na verdade, está apenas consciente de suas próprias faltas e falhas, só não consegue assumir isso para si mesma, o que seria o primeiro passo para a mudança.

Os tóxicos tendem a se desviar das responsabilidades aos quais são submetidos, dentro e fora do ambiente de trabalho, e a estratégia deles é redirecionar o foco de atenção para outro ponto quando percebem que podem ser desmascarados. Para eles, é inadmissível esquecer ou perdoar algo que julgam ser errado, por outro lado, as pessoas tóxicas vão fazer de tudo para lembrar a todo momento quem errou e qual foi o erro, é como se estivessem o tempo todo com o dedo em riste apontando para alguém que não eles mesmos, transformando falhas em dores, mágoas e ressentimentos. Eles nunca (com entonação maiúscula) se preocupam ou se importam com ninguém, afinal vivem na crença de que todos querem os prejudicar, não ajudar.

Você trabalha com alguém tóxico?

As pessoas com atitudes tóxicas são tão perigosas que podem levar você a ter a certeza de que é o problema, e não ela; a saída é olhar para si, se autoavaliar em relação ao seu estado emocional e equilíbrio para que descubra como contornar essa situação da melhor e mais benéfica maneira possível.

É essencial não permitir que, ao criar desculpas para ela, uma pessoa tóxica se aproveite de você, te use para alcançar seus objetivos na contramão do que você mesmo busca e acredita. No seu trabalho, você pode se deparar, por exemplo, com indivíduos que não respeitam prazos de entrega e tentam culpar os outros por seu atraso afetando todos os membros da equipe, por aquele que está o tempo todo comentando sobre o comportamento dos outros profissionais, pelo preguiçoso que não se preocupa com a eficiência e sim em fazer o menor esforço possível, e aquele que odeia trabalhar em grupo porque não respeita o significado do espírito de equipe.

O que você deve fazer para lidar e trabalhar com todos esses perfis de pessoas? Não entrar no jogo deles, mas aceitar cada um e tentar mostrar a eles que você não se deixa atingir pelo que vai te prejudicar, afetar a carga emocional equipe ou atrapalhar o sucesso da empresa.

O filósofo francês Sartre disse que “o inferno são os outros”, ou seja, o ponto principal do relacionamento com uma pessoa tóxica pode estar exatamente no contágio emocional que ela estimula, o que consome e drena as energias na organização.

Para ajudar a reconhecer os colegas tóxicos, fique atento a quem parece carregar uma nuvem de negatividade acima de sua cabeça e de todos que estiverem ao seu lado; a quem vê prazer em causar problemas, a suscitar a raiva alheia, a aumentar o stress do ambiente, a perturbar a convivência pacífica de todos que ali trabalham com suas provocações e intimidações.

Impor limites e usar a razão para não se deixar atingir são ótimas estratégias para lidar com pessoas tóxicas. Para não se deixar contaminar, nem por um colega tóxico nem por seu chefe tóxico, é fundamental assumir o controle da situação, com calma, tranquilidade e segurança.

Para lidar com líderes e colegas de trabalho nocivos é preciso estabelecer limites e dar abertura para que o tóxico se expresse sobre como vai encontrar soluções para determinado problema, em uma tentativa de direcionar o trabalho para algo produtivo; para não cair nas armadilhas tóxicas e manipuladoras, você deve usar a razão como ferramenta para desbancar a irracionalidade de quem está contaminando o local. Ter controle emocional é imprescindível para superar comportamentos nocivos porque, enquanto você sorri, está salvando tempo para se planejar antes de agir; é fundamental se concentrar nas soluções e não nos problemas e obstáculos, mantendo o foco no que realmente importa, sem perder energias em discussões desnecessárias e sem fundamento. 

Ao invés de se deixar abater, fortaleça sua inteligência emocional, o que vai ajudar você a compreender e gerir suas emoções perante a toxidade alheia através do autoconhecimento, da autoconfiança e da motivação para se relacionar melhor com as pessoas.

O que chega em você não precisa ficar em você. Posicione-se e faça valer sua energia positiva.